quinta-feira, 21 de dezembro de 2006

Baby Books - Foi Assim que Tudo Começou

Minha aventura no scrapbook começou em 2003, logo que meu sobrinho Augusto nasceu.

Sempre procuro dar presentes feitos por mim pois acredito que a boa energia do carinho da produção vai junto com o presente.

Desta vez queria dar um presente diferente. Passei semanas pensando o que daria de presente para um bebê que nem sabia ainda o que estava recebendo, quando lembrei do álbum de bebê que minha mãe preencheu para mim quando nasci.

Na verdade não era um álbum, era um livrinho de alguma empresa farmacêutica, que a mãe ganhava de presente na maternidade. Super impessoal e cheio de propagandas, mas sempre lembrei com muita carinho das coisas que ela escreveu para mim com tanta doçura: como foi que escolheu o meu nome, como estava o dia que nasci e por aí vai.

Pronto! Estava definido qual seria o presente!

Saí à procura dos papéis e fiz uma a uma, todas as páginas do álbum no computador. Quase 100 páginas! O Augusto teria sua história contada desde alguns meses antes de nascer até completar mais de 1 ano.

Não importava mais que ele não sabia o que estava recebendo de presente no dia em que nasceu. Com certeza este seria um dos primeiros presentes recebidos, e o que irá guardar por toda a vida.

Aprendi a fazer encadernação. Apanhei muito, mas o livro tinha que ser feito à mão, por mim.



Sucesso? É o que parece. A família toda se emocionou com o livro. Espero que o Augusto também, depois de alguns anos, quando puder saber mais sobre sua história, seus antepassados.

Depois do livro do Augusto vieram outras encomendas e muita pesquisa.



Descobri o scrapbooking, a arte de decorar álbuns de fotos, tomando cuidado para preservar as memórias ao longo de gerações. Era esta a principal itenção do álbum do Augusto.

Fiz outras descobertas: descobri que o material utilizado no álbum do Augusto não era acid-free. Mas qual a importância disto?

No scrapbooking utilizamos somente materiais livres de ácido (acid-free) e livres de lígnia, para que as fotos, os enfeites, os relatos e toda a memória envolvida neste processo não se deteriorem ao longo do tempo. Quem nunca viu uma foto ou papel manchados, um papel desbotado e com marcas que parecem ferrugem? Pois é, para não acontecer isto é que é importante utilizar os materiais apropriados para o scrapbooking. Como fazem os restauradores. Desde as colas, o papelão para as capas, os plásticos, os metais, as canetas, as tintas...tudinho tem que ser acid-free, lignin-free.

Naquele tempo (em 2003) não se encontrava muito destes materiais no Brasil e tudo o que aparecia por aqui era muito caro e em pequena quantidade. Você comprava um dia e se precisasse mais era difícil encontrar. Foi pensando nisto que logo no finalzinho de 2003 montei o ScrapStuff. A primeira loja virtual do Brasil de produtos para scrapbooking. Tudo testado e aprovado antes por mim.

Em paralelo ao ScrapStuff, continuei fazendo álbuns de bebês e diversifiquei a produção. Comecei a fazer também convites, lembrancinhas para diversas ocasiões (casamentos, batizados, aniversários), livros de assinaturas, álbuns de fotos e, lógico, scrapbooks.

No Louca por Scrap falo mais um pouquinho sobre minha paixão pelo scrapbooking e é lá que mostro meus trabalhos e produtos de destaque do ScrapStuff.

3 comentários:

Rosane disse...

Olá amiga
Sou a Ro araujo do papelearte "yahoo", sempre me encantei com suas peças e sua luta, mas agora me apaixonei pelo seu trabalho.
parabéns, vc é um exemplo que nã devemos desistir tão fácil.
Feliz Natal e um lindo Ano Novo
beijos
Ro

Alexandra disse...

Oi Esther,

Que belo começo ... o blog tá uma gracinha e o seu trabalho então nem se fala.

Um beijo,

Alexandra Belo

by Tania Martyns disse...

oie ,obrigado pela tua visita ,é ,as orquídeas deixam qualquer um sem fôlego ,não preciso dizer que sou apaixonada ,heheh.beijos !